O futuro da medicina preditiva com base na tecnologia

insert image
O futuro da medicina preditiva com base na tecnologia

Como a tecnologia está revolucionando a forma de se fazer a medicina preditiva no mundo e quais são as diferenças da medicina curativa e preventiva


A medicina passou por diversas etapas até chegar aos dias atuais. Houve uma época em que se enfatizou somente a Medicina Curativa, que atua quando a doença já se instalou no paciente, depois surgiu a Medicina Preventiva, cujo foco é a realização de atos preventivos que irão contribuir para o não aparecimento de doenças. Existe ainda a Medicina Paliativa, voltada a dar qualidade de vida para pacientes terminais.


Com os avanços tecnológicos, o foco agora é na Medicina Preditiva


A tecnologia vem mudando todas as áreas da vida humana e promovendo soluções antes inimagináveis. Na saúde, não é diferente. Uma verdadeira revolução vem sendo observada com o surgimento e aprimoramento da inteligência artificial, por exemplo, que tem auxiliado muito a medicina.


Mas antes de falarmos sobre as inovações tecnológicas, é importante explicar como a medicina agora caminha para uma linha preditiva, que difere da medicina curativa e da medicina preventiva. É importante ressaltar que uma medicina não substitui a outra, elas existem simultaneamente e se complementam.



Medicina Curativa x Preventiva


Com certeza você já ouviu dizer que a prevenção é o melhor remédio. Nessa dito reside o foco da medicina preventiva, destinada a evitar que as doenças cheguem a se manifestar por meio de bons hábitos e exames prévios, contemplando os cuidados rotineiros e antecipados, como vacinas, realização de check-ups e exames periódicos.


À medida em que surgiram estudos relacionando fatores causais no processo de saúde-doença, como hábitos alimentares e sedentarismo, a chamada medicina preventiva começou a expressar-se como grande promissora no campo da saúde.


A medicina curativa é aquela direcionada à cura de enfermidades e/ou tratamento de sintomas, evitando o agravamento e aparecimento de complicações. 


Existe ainda a medicina paliativa, que tem como objetivo melhorar a qualidade de vida de um paciente com doenças progressivas ou em estado terminal. Os cuidados paliativos tratam o doente para minimizar dores e desconfortos, tendendo a ser sempre o mínimo invasivo possível. 



Medicina preditiva


Uma vez que a medicina curativa cura, a medicina preventiva previne, a medicina preditiva prevê. Ou seja, a medicina preditiva utiliza uma combinação entre inteligência de dados e inteligência artificial para prever a evolução ou chances de desenvolvimento de doenças em quadro clínicos.


Enquanto a inteligência de dados coleta informações do estado de saúde e histórico familiar do paciente, além de hábitos alimentares e prática ou não de exercícios físicos, a inteligência artificial tem como propósito analisar o DNA a fim de fazer um mapeamento genético.


A medicina preditiva é considerada o futuro da medicina, pois permite o uso de estudos do genoma humano para identificar tendências e ações de sua correção, permitindo atuar para que a doença não ocorra ou que ocorra de forma mais amena.



Inovações tecnológicas


Da sessão de atendimento ao paciente à novos tratamentos, tudo está encaminhando para um mundo totalmente tecnológico. Na medicina preditiva, não é diferente. 


Entre as principais inovações, destacamos:


  • Wearable devices: são dispositivos vestíveis, como relógios que marcam e monitoram o ritmo cardíaco, pressão arterial e nível de glicose constantemente. Estes dispositivos podem promover a prevenção e o controle de inúmeras doenças, além de melhorar a experiência dos pacientes.


  • Inteligência artificial: softwares e mecanismos cruzam dados determinando as melhores respostas e tratamentos, além de analisar dados e mapas de DNA para prever doenças.


  • Big data: o volume e a velocidade de dados são cada vez maiores com a medicina preditiva, o Big Data entra então para capturar, gerenciar e interpretar este grande número de informações em tempo real e em escala global.


  • IoT: a Internet das Coisas atua principalmente na implantação de dispositivos inteligentes, além da coleta e monitoramento das informações para tratamentos mais precisos. 


  • Mapeamentos genéticos: atua principalmente para prever a aparição de doenças com base na análise das informações do mapa de DNA do paciente, utilizando a inteligência artifical para cruzar esses dados.


  • Fixação temporária de aparelhos: a exemplo de chips e tecidos inteligentes, permite um diagnóstico mais preciso, analisando as funções biológicas do indivíduo por determinado período de tempo.


  • Biópsia líquida: é uma forma de exame pouco invasiva que possibilita o diagnóstico precoce de doenças como o câncer. 



Conheça mais da Qualivida e veja como as inovações tecnológicas na medicina podem beneficiar o seu dia a dia!


Fique por dentro de todas as novidades no nosso Instagram!


Confira outras matérias

insert image